Marie Guillemette Emilie de Rodat nasceu em 1787, na cidade de Rodez no sul da França, e foi criada por sua avó. Foi educada na Maison San-Cyr Villefrance e com dezoito anos passou a ser professora, tão grande era a sua inteligência e dedicação. Sentindo-se chamada para a vida religiosa, entrou para três ordens, mas não se sentia confortável em nenhuma delas, assim, em 1815, começou a cuidar de crianças pobres por sua conta, e no ano seguinte fundou uma escola gratuita para crianças carentes com três assistentes e quarenta estudantes. Este foi o alicerce da fundação de um instituto que mais tarde se tornaria a "Congregação Religiosa Sagrada Família" em Villefrance, dedicada a educação em geral, mas, com ênfase especial à educação religiosa. Emília trabalhou com grande esforço e energia e fundou nada menos de 38 instituições, algumas delas, dedicadas a cuidar de mulheres em situação delicada, órfãos, prisioneiros e asilos. Cuidava dos doentes pessoalmente e curava alguns apenas com oração e sua benção. Assim, sua fama se espalhou por toda a região e várias pessoas de todas as classes sociais vinham procurá-la para conforto e cura. Faleceu em 19 de setembro de 1852. Seu túmulo passou a ser local de peregrinação e inúmeros são os milagres creditados a sua intercessão. Foi canonizada em 1950 pelo Papa Pio XII. Sua festa é celebrada no dia 19 de setembro.